sábado, 25 de julho de 2009

Quando o esporte se torna perigoso




É incrivel ver acidente desse tamanho ocorrendo ainda na Formula 1.
Uma peça voar de um outro carro sem nenhum contato é inaceitavel e foi isso que aconteceu no qualify da Hungria.

Treino Qualificatorio, onde todos os pilotos ficam em uma distancia segura do carro a frente para não ser atrapalhado em uma volta rapida e com isso colocando em zero o risco de toque e detritos de carro na pista.

É incrivel que em menos de uma semana, dois acidentes bobos aconteceram no automobilismo mundial.

O primeiro de Henry Surtees em Brands Hatch pela Formula 2, após uma batida boba e fraca que qualquer piloto sai inteiro sem nenhuma conseqüencia aconteceu o que ninguem imaginava, um pneu (cabo de suspenção, cade voce?) saiu, quicou e acertou em cheio a cabeça de Henry Surtees de somente 18 anos que perdeu a consciencia e acabou falecendo mais tarde.




Agora com Felipe Massa no treino qualificatorio para o gp da Hungria, uma mola se despreendeu do carro de seu compatriota Rubens Barrichello de uma forma inexplicavel e acabou acertando o capacete de Felipe Massa e quase acabando com a carreira do brasileiro, podendo deixar varias sequelas ou mesmo deixando ele cego e se for pensar o pior, podendo ter o matado pela sua velocidade (280 KM/h) e a mola que pesa 1 kilo com o impacto levou ele a perda de consciencia imediata e acabando batendo no muro ao final da reta.







Agora eu gostaria de ver a atitude que o senhor Max Mosley presidente da FIA e Tio Bernie presidente da FOM (visitar ele no Hospital não adianta) irão tomar para que acidentes desse tamanho não ocorra mais na Formula 1, Formula 2 e em todas as categorias do automobilismo mundial, porque acidente como esse tira a magia do esporte e o publico não quer ver mais mortes na pista.

Para encerrar esse post: O dinheiro é tanto, o marketing é tão grande que eles acabam esquecendo de cuidar do ator principal: O PILOTO

4 comentários:

Rodrigo disse...

Assino embaixo, Gabriel. A dupla dinamica deixa os pilotos em segundo plano. E faz tempo...

Gabriel Pedreschi disse...

E bota tempo nisso Rodrigo.
Anda bem que final do ano um já se vai

Isabela disse...

Nossaa, coitadoo dele !
Ficoo horriveel
Tomaree que elee se recuperee o maiis rapidoo possiveel .!

Nãoo mereciia issoo =/

Anônimo disse...

Parabéns pelo trabalho Gabriel... tem toda a razão. O esporte é feito de heróis e as máquinas, regras, grana, marketing estão num segundo plano. Acredito que nada vai mudar, algumas fatalidades acontecem, mas no caso do Sturtees o negócio foi mais complicado, já que um pneu de carro de corrida não pode sair voando e acabar com a vida de outra pessoa. Como já aconteceu diversas vezes na F1 (Villeneuve Australia, não lembro ano!!)

Abração e parabéns pelo blog... está ótimo!

Rogério Artoni